top of page
  • Foto do escritorAlpgrem

Manutenção preventiva das Bombas Hidráulicas em condomínios

Atualizado: 9 de nov. de 2022

Conheça os diferentes tipos de bombas hidráulicas utilizadas em condomínios, suas funções, localização, principais problemas e como realizar a manutenção/conservação preventiva.

Locação Airbnb - Administradora Condomínio
Bombas Hidráulicas - Condomínios

As bombas hidráulicas são equipamentos indispensáveis para os condomínios, porém sua importância é percebida apenas, em situações de emergência. Síndicos, zeladores e condôminos só lembram das bombas hidráulicas quando a garagem fica alagada ou quando falta água potável nas torneiras das unidades autônomas ou apartamentos. Sua conservação é imprescindível para evitar desconfortos e prejuízos ao condomínio. Sem as bombas hidráulicas, a água potável do reservatório inferior não chega ao reservatório superior. Sem as bombas hidráulicas, as águas provenientes de infiltrações, do lençol freático ou da chuva invadem garagens e causam inundações.


Bomba porque ela tem a função de “bombear” os diferentes tipos de água (suja, limpa, pluvial, quente, fria etc.) que entram e saem das tubulações do condomínio. A instalação de bombas d’água está prevista na planta das instalações hidráulicas de todos os edifícios. O universo das bombas de água em condomínios possui muitas particularidades e síndicos, zeladores e manutencistas precisam estar preparados para enfrentá-las.


A fim de auxiliar no entendimento de síndicos, zeladores e condôminos, vamos falar sobre tudo o que você precisa saber sobre as bombas hidráulicas de um condomínio, suas funções, problemas mais frequentes e como evitá-los.


Primeiramente é preciso entender que a bomba hidráulica converte energia mecânica em energia hidráulica. Quando a bomba do seu condomínio opera, ela executa basicamente duas funções. Primeiro, sua ação mecânica cria um vácuo na entrada da bomba, que permite que a pressão atmosférica force o líquido do reservatório para a linha de entrada da bomba. Segundo, sua ação mecânica entrega esse líquido à saída da bomba e força-o ao sistema hidráulico. A bomba hidráulica produz um movimento de líquido, ela não gera pressão. A bomba cria o fluxo necessário para o desenvolvimento de pressão, que é uma função da resistência ao fluxo de fluido no sistema.


O segundo passo é entender quais os tipos de bombas hidráulicas presentes nos condomínios, e suas respectivas funções. A existência dessas bombas hidráulicas dependerá da necessidade de cada condomínio, seja ele residencial, comercial, horizontal ou vertical. Por exemplo, condomínios horizontais, nem sempre precisam de bombas de recalque para levar águas aos reservatórios, já que cada unidade autônoma tem sua caixa d’água. Alguns condomínios verticais possuem garagem subterrânea, porém podem não sofrer com inundações, o que descarta a necessidade de bombas de drenagem de água da garagem.


Em geral, as bombas hidráulicas funcionam a partir de dois sistemas: hidráulico e elétrico. A parte hidráulica contempla válvulas, registros, tubulações e conexões específicas. Já a parte elétrica se trata do quadro de comando, que aciona o motor das bombas d’água automaticamente. As mais comuns em condomínios são:



BOMBA DE RECALQUE: Esta categoria de bomba também é chamada de bomba submersível ou bomba de esgoto, é um tipo de bomba desenvolvida especialmente para atuação nos recalques dos esgotos de casas, indústrias, edifícios e condomínios. A bomba de recalque é responsável por transportar a água de um reservatório inferior para um reservatório superior. Este equipamento é instalado na casa de bombas, e leva água limpa até a caixa d’água na cobertura do edifício, que depois é levada pela gravidade até os ramais das unidades autônomas. As bombas de recalque são as que mais trabalham em um edifício, por essa razão o sistema do condomínio deve abranger duas bombas ligadas em paralelo, que funcionam de forma alternada.


O sistema das bombas de recalque é programado para acusar quando o nível das caixas d’água está muito baixo. Quando o reservatório superior estiver quase vazio, a bomba é acionada automaticamente. Se o reservatório estiver cheio, automaticamente o equipamento deixa de bombear a água para topo do edifício. O síndico ou zelador também podem gerenciar o funcionamento das bombas de recalque, por meio do painel de comando, determinando quando elas serão ligadas.


Mesmo sendo fabricada com materiais de qualidade e procedência, a bomba de recalque não está livre dos desgastes e corrosões naturais, adquiridos com o passar do tempo. Por se tratar de um equipamento exposto à intensa circulação de água todos os dias, desgastes em sua estrutura são inevitáveis. Sendo assim, a manutenção de bombas de recalque torna-se indispensável.



BOMBA DE ESGOTO: A bomba de esgoto é um equipamento empregado na drenagem de águas e outros fluidos residuais dos condomínios, apresentando excelente desempenho e realizando com êxito o bombeamento do esgoto para os locais de descarte e tratamento. Ela faz parte da categoria das bombas submersas, contando com o mesmo sistema hidráulico utilizado por estas.


A bomba de esgoto está disponível em diversos modelos, podendo variar o seu tamanho e capacidade, portanto o equipamento mais adequado, deve ser escolhido de acordo com a necessidade do condomínio. Essas bombas são capazes de resistir a diversas intempéries, além de não sofrer avarias diante de mudanças bruscas de temperatura, umidade, impactos, entre outros.


A manutenção da bomba de esgoto é simples e de fácil execução, devendo ser realizada periodicamente, para garantir uma longa vida útil e evitar falhas que possam prejudicar o bombeamento do esgoto. Uma das vantagens da utilização da bomba de esgoto é o seu excelente custo-benefício: além de ser um equipamento comercializado a preços acessíveis, sua operação também é de baixo custo para o condomínio.



BOMBA DE PRESSURIZAÇÃO: Este tipo de bomba hidráulica fica próxima aos reservatórios de água, seja no subsolo ou na cobertura do condomínio. Ela proporciona uma pressão adequada nos pontos de consumo dos apartamentos, como duchas, torneiras, registros, etc. A bomba de pressurização é um sistema muito usado, principalmente, no controle de água, em que é feita certa pressão no líquido para que ele seja direcionado para a direção correta. Além disso, toda a bomba de pressurização deve estar dimensionada pelas normas da ABNT, para que vazamentos, escoamentos ou ruídos sejam evitados. É importante que seja instalada em locais estratégicos a fim de que seus ruídos não causem transtornos.


As bombas de pressurização são especialmente importantes para condomínios mais antigos, que muitas vezes não possuem caixa d’água superior ou mesmo para edifícios muito altos, onde os apartamentos de cobertura podem sofrer com a baixa pressão da água na tubulação da unidade autônoma.


Estes equipamentos também podem ser acionados automaticamente através de um painel de comando, assim, as bombas de pressurização podem começar a trabalhar somente quando há consumo efetivo de água. A bomba de pressurização deve trabalhar em velocidade adequada para que seja mantida uma pressão constante por meio do ajuste automático da rotação da bomba, que faz com que, quando a vazão de consumo é reduzida, a bomba hidráulica desligue automaticamente, como programado.


A bomba de pressurização de água está presente em empreendimentos comerciais e residenciais, portanto as características podem variar dependendo do modelo escolhido, mas em geral são equipamentos confiáveis, resistentes e que possuem durabilidade. Algumas das principais características do sistema da bomba de pressurização de água são o fato de serem máquinas robustas e de fácil instalação e manutenção, além de produzirem pouco barulho, e terem um baixo consumo de energia, dentre vários outros benefícios.



BOMBAS DE DRENAGEM (ÁGUA PLUVIAL, CISTERNA E REÚSO): Estas bombas hidráulicas são instaladas em um poço no térreo ou subsolo, e são equipamentos de drenagem de água limpa, utilizados para mover líquidos com pressão suficiente para transmitir a energia no corpo do fluido. Por isso, uma bomba submersível drenagem é utilizada para o bombeamento de líquido acumulado equivocadamente em algum lugar ou tubulação do condomínio. Em geral são bombas hidráulicas do tipo submersível, portanto são instaladas num poço sob a água a ser bombeada, e devem ser mantidas assim, ou poderão ser queimadas.


Esse equipamento é essencial para condomínios que enfrentam problemas com inundações pela área comum, especialmente no subsolo. Nesse caso, dependendo do volume do alagamento, recomenda-se a instalação de pelo menos duas bombas de drenagem no condomínio. Uma bomba principal e outra de reserva, assim se uma delas falhar, a outra poderá funcionar em alguma situação de emergência. Na maioria das vezes, a água removida por esses equipamentos é bombeada para a rua ou caixa de águas pluviais da cidade.


Condomínios sustentáveis possuem sistemas que permitem captar e tratar a água proveniente das chuvas que seria simplesmente descartada, com isso auxiliam o meio ambiente e contribuem na redução de gastos da conta de água. Os condomínios que pretendem reutilizar as águas da chuva precisam implantar todo o sistema de captação, bombeamento, tratamento e distribuição. Esta água de reuso costuma ser utilizada para a lavagem de calçadas, carros, áreas comuns e para a rega dos jardins, podendo até ser potabilizada com o devido tratamento. Sem o devido tratamento, a água captada pelas bombas do condomínio é suja e pode estar acompanhada de resíduos sólidos, sem condições de ser reutilizada. O custo-benefício de um sistema de reutilização de água precisa ser avaliado, e somente torna-se economicamente vantajoso para o condomínio em alguns casos. Um sistema de reutilização de água também consiste na instalação, troca ou reparo das tubulações, colocação de um sistema de calhas, filtro e reservatório para captar, tratar e armazenar a água captada.


Além da manutenção preventiva mensal, é preciso realizar a limpeza periódica das caixas coletoras secundárias e das tubulações que conduzem a água até a caixa coletora principal, onde são instaladas as bombas. As caixas coletoras principais devem ser limpas anualmente para evitar que as bombas sejam obstruídas pelo lodo que se forma no fundo das mesmas.



BOMBAS DE POÇO: A bomba de poço é a peça mais importante de um sistema de poço artesiano, sendo que a bomba fica totalmente submersa no sistema e inclui um motor hermeticamente fechado acoplado ao seu corpo. Em termos de funcionamento, a bomba para poço empurra a água do poço para dentro do condomínio. A água é puxada para a entrada da bomba e o impulsor empurra a sua vazão através do difusor. De lá, ela é trazida até a superfície e canalizada para seu destino final.


A bomba para poço típica tem formato cilíndrico, cerca de 42 polegadas de altura e a maioria tem 4 polegadas de diâmetro. Uma vez que o poço é perfurado, a bomba é conectada a um tubo flexível e abaixada na caixa do poço até que esteja totalmente submersa, dependendo da pressão do ar atmosférico para forçar a entrada de água no tubo e através da bomba. O equipamento então fornece água para um tanque pressurizado, que é regulado por um pressostato montado no tubo do poço, onde ele entra no tanque. Quando a água é retirada do tanque, a pressão diminui, fazendo com que o interruptor solicite mais água da bomba. Ele começa a bombear e reabastece o tanque até que a pressão máxima seja alcançada. A bomba é então desligada até que a pressão volte a descer e o ciclo se repita.


Uma vantagem da bomba de poço é que, por estar submersa, é autoescorvante. As bombas submersíveis também são energeticamente eficientes graças ao seu design. Devido à pressão da água que empurra o fluido para dentro da bomba, elas não consomem muita energia para mover a água dentro do condomínio.



BOMBAS DE PISCINA: Obviamente sua principal função é auxiliar no tratamento da água das piscinas. Esta categoria de bomba é fundamental para manter a piscina do condomínio higienizada e a boa qualidade da água, e faz com que a água circule constantemente, o que reduz o acúmulo de bactérias e outras impurezas no fundo da piscina. Ela trabalha em conjunto com os filtros, que barram a entrada de folhas, insetos e outras impurezas, preservando o funcionamento da bomba, de forma que a piscina esteja sempre pronta para ser utilizada pelos condôminos. As bombas de piscina também são utilizadas para alimentar pontos de lazer e decoração do condomínio, como fontes, cascatas e chafarizes.


Ao escolher uma bomba de água para piscina é essencial verificar se esta é compatível com o filtro utilizado, e também deve ser levado em consideração fatores como tamanho da piscina do condomínio, volume da água, capacidade do encanamento do local, entre outros. Existem diversos modelos de bomba de água para piscina disponíveis no mercado, podendo variar seu tamanho, capacidade de bombeamento, entre outras características.


A bomba de água para piscina precisa ser escolhida em conformidade com padrões rígidos de qualidade e segurança, seguindo normas técnicas rigorosas. Em geral são fabricadas com material de alta resistência, como o aço carbono, inox ou o ferro fundido, apresentando excelente durabilidade e longa vida útil. A sua instalação no condomínio é realizada de forma bastante rápida e fácil, entretanto esse serviço deve ser executado por profissionais capacitados.


A manutenção da bomba de água para piscina é, também, muito simples, devendo ser realizada de forma preventiva periodicamente. Esse cuidado é importante para que a bomba permaneça funcionando de forma adequada e econômica. Uma bomba funcionando com bom desempenho é garantia de baixo gasto de energia elétrica para o condomínio, mantendo-se assim o custo-benefício do equipamento.



BOMBAS DE INCÊNDIO: A bomba hidráulica de incêndio é um equipamento essencial para o funcionamento eficiente de um sistema de combate a incêndio em condomínios, sendo utilizada para movimentar a água utilizada para o apagamento das chamas. Estas bombas são instaladas no topo do condomínio, e cuidam da pressurização da tubulação dos hidrantes. Portanto, síndicos e zeladores devem estar atentos se a instalação do equipamento está de acordo com a Instrução Técnica 22/2018 do Corpo de Bombeiros. O Sistema de Combate a Incêndio tem a função de promover o deslocamento da água pela tubulação , conferindo-lhe a energia cinética necessária para atingir o foco de incêndio a uma determinada distância, com a vazão e a pressão adequada ao processo.


Existem diversos modelos de bomba de incêndio, sendo os mais comumente utilizados a bomba monoestágio, a multiestágio e aquela que conta com injetor interno. Tanto a bomba monoestágio quanto a multiestágio podem ser flangeadas ou rosqueadas, sendo necessário optar pelo modelo mais indicado para a aplicação desejada e de acordo com as características do sistema anti-incêndio do seu condomínio. É importante conhecer o tipo de sistema anti-incêndio utilizado também para optar pela bomba centrífuga para incêndio de alta, média ou baixa pressão e alta, média ou baixa vazão.


A instalação da bomba hidráulica para incêndio é realizada de forma rápida e fácil, e sua manutenção também é simples e prática. É muito importante que se realize a manutenção do equipamento de forma preventiva periodicamente, para que este mantenha seu bom desempenho e para que se garanta alta eficiência durante toda a sua vida útil.


Um dos pontos mais importantes da norma é que a bomba de incêndio deve funcionar de maneira independente do quadro geral de energia elétrica do condomínio. Esta separação é necessária, pois em caso de incêndio, o quadro geral deve ser desligado imediatamente, enquanto a bomba de incêndio funcione para combater as chamas. Caso o condomínio seja dotado de grupo gerador de energia elétrica, o ramal de alimentação das bombas de combate a incêndio poderá ser alimentado por este, devendo haver no entanto, uma chave automática de transferência de carga, que transfira o ramal das bombas da rede da concessionária para a rede do gerador, sempre que houver corte de energia elétrica na rede da concessionária.


Compõe-se do reservatório de água, também denominado de reserva técnica de incêndio, e de uma ou mais bombas de incêndio, dependendo da classificação do risco de incêndio do condomínio, sendo normalmente são dimensionadas de acordo com a norma NR-13714. Sistemas de combate a incêndio por hidrantes ou por mangotinhos, ou obedecendo aos códigos estaduais ou municipais de proteção contra incêndio.


Para manter a boa conservação das bombas hidráulicas de incêndio, é recomendada a instalação em local protegido e apropriado e de fácil acesso denominado, mantendo-as protegidas, e em condições de entrar em operação imediata quando necessário. Também recomenda-se realizar manutenção preventiva anual nas bombas de combate a incêndio para avaliação de itens como nível de ruídos, vibrações, vazamentos, consumo de energia e o funcionamento de elementos de comando como os pressostatos, chaves de fluxo, alarme e dos componentes do quadro de comando.



Principais problemas enfrentados:


Ruídos em excesso, vibrações, vazamentos, desarmes de disjuntores, relés e fusíveis, corrosão das peças, rolamentos desgastados, peças originais fora da linha e perda de eficiência, são alguns dos problemas mais comuns nas bombas hidráulicas em condomínios. A maioria destes problemas são causados por inatividade, uso excessivo ou falta de manutenção preventiva. Existem máquinas que trabalham o dia inteiro no condomínio, outras ficam paradas por um longo período, pois são acionadas apenas em casos específicos, como as bombas de incêndio. Portanto, cada bomba hidráulica pode apresentar problemas distintos, e até mesmo causar falhas em todo o sistema de bombeamento e tubulação do condomínio. O certo é que os problemas sempre acontecem e costumam aparecer nos piores momentos possíveis.


Para evitar situações como estas, síndicos, zeladores e manutencistas precisam estar atentos aos sinais das bombas hidráulicas, porém sempre ter muito cuidado ao intervir no sistema, pois estes equipamentos podem trazer riscos a quem os manuseia. Portanto, síndicos e zeladores devem se limitar a fazer vistorias visuais e auditivas, diariamente, nas bombas do condomínio, para identificar possíveis vazamentos ou ruídos fora da normalidade. A pessoa responsável pela manutenção do sistema hidráulico do condomínio, deve realizar o fechamento e a abertura dos registros, com o objetivo de identificar possíveis vazamentos na tubulação. Quanto à parte elétrica, é preciso mudar a chave no quadro de comando, para observar se há folga nos disjuntores. Qualquer outra ação nas bombas hidráulicas, deve ser realizada por profissional especializado e empresa consolidada no mercado.



Como realizar a manutenção/conservação?


A manutenção/conservação de bombas hidráulicas é uma atividade complexa, que envolve conhecimentos específicos de várias especialidades técnicas, como mecânica, hidráulica, elétrica e até instrumentação. Isso se explica pelo fato da conservação de bombas estar diretamente associada ao funcionamento do sistema hidráulico do condomínio como um todo. Os problemas de desempenho, mesmo os que são visíveis na própria bomba hidráulica, podem ter origem em dispositivos e acessórios distintos, cujas operações individuais interferem na operação do sistema completo, podendo afetar a vazão e a pressão de água bombeada, além de poder gerar vazamentos.


A verificação da qualidade de funcionamento de uma bomba hidráulica é imprescindível, porém, em muitos casos, é algo negligenciado. Isso significa que a manutenção de bombas hidráulicas no condomínio, feita de forma preventiva, ainda é algo esquecido por síndicos e zeladores muitos e que apenas percebem as falhas na bomba quando estas já precisam de um sério conserto e não mais de uma manutenção rotineira.


A preventiva manutenção de bombas hidráulicas serve exatamente para evitar danos graves no sistema hidráulico do condomínio. Apenas através de uma manutenção de bombas, o sistema terá total garantia de trabalhar sempre em ótimas condições de uso. Além disso, pequenas falhas que possam aparecer, geralmente, podem ser resolvidas apenas com uma simples manutenção de bombas hidráulicas, o que evita gastos para os condôminos com a aquisição de novos maquinários.


A manutenção de bombas hidráulicas deve ser realizada quando problemas se apresentarem, porém, de modo a evitar possíveis falhas, é sempre recomendável realizar a manutenção preventiva dos equipamentos. A conservação de bombas varia em função do tipo e do modelo das bombas hidráulicas instaladas no condomínio. É importante ressaltar que apenas profissionais técnicos especializados podem realizar a manutenção de bombas, pois apenas eles saberão identificar e solucionar o problema.


Para a boa conservação das as bombas hidráulicas, é recomendável que elas recebam um revezamento sistemático em períodos pré-determinados que ser semanal ou mensal. Este procedimento evita o desgaste acentuado de uma das bombas e a deterioração da outra, por falta de operação. Quadros de comando modernos efetuam o revezamento de forma automática a períodos de tempo programáveis e possuem alarme de nível alto, que além de avisar sobre a ocorrência de defeitos no sistema hidráulico, aciona automaticamente a bomba reserva, permitindo ações preventivas ou corretivas sem a ocorrência de alagamento de áreas subterrâneas do condomínio.


Geralmente, um sistema hidráulico de um condomínio é composto além da bomba hidráulica por um ou dois motores elétricos, válvulas e instrumentos de medição, como manômetros. Dessa forma, a mais adequada conservação de bombas obrigatoriamente envolve a conservação destes dispositivos auxiliares. Assim sendo, existem dezenas de variações dessa configuração comum de um sistema hidráulico de bombeamento, pois cada um dos itens pode apresentar características especiais, mais ou menos complexas tecnicamente. Contudo, o que é importante é que estes equipamentos cumpram determinadas funções de processo no sistema.


Manter um equipamento reserva e fazer o rodízio de bombas hidráulicas, são medidas imprescindíveis para a prevenção das bombas hidráulicas, e esses procedimentos podem ser adotados também, para as bombas de drenagem, incêndio, piscina e pressurização. É recomendável que a vistoria técnica da empresa parceira do condomínio, também inclua medição de ruídos, amperagem, voltagem e temperatura das bombas hidráulicas.



Principais cuidados com o Contrato de Manutenção e Conservação:


Assim como os contratos de elevadores, geradores, câmeras, portões, etc., é dever da administradora do condomínio, garantir que o contrato de manutenção preventiva das bombas hidráulicas estipule claramente quais as peças podem ser repostas sem custo, qual o número de visitas técnicas incluídas mensalmente e se existe atendimento de plantonista 24 horas.


Para prolongar a vida útil e melhorar a performance do sistema hidráulico bombeante, o contrato de conservação de bombas é o serviço ideal. O objetivo deste contrato é proporcionar ao condomínio a garantia do funcionamento adequado dos equipamentos hidráulicos, além de possibilitar uma redução do custo com a execução da manutenção preventiva, evitando reparos ou trocas quando o problema já se agravou.


Através de uma equipe especializada, produtos e equipamentos das melhores marcas, o contrato de conservação de bombas deve disponibilizar um serviço de altíssima qualidade, contemplando serviços como: visitas mensais para a execução da manutenção preventiva e vistorias, entrega de relatório de execução, manutenção corretiva ilimitada 7 dias da semana, 24 horas, diagnóstico de todas as irregularidades do sistemas motobombeante, elétrico e hidráulico do edifício, geração de orçamento para sanar possíveis irregularidades, retirada e devolução para orçamento de todos os equipamentos do contrato sem custo adicional ao condomínio, e ainda possível empréstimo de bombas.


Quando há necessidade de manutenção em equipamentos hídricos, é necessário procurar uma empresa prestadora de serviços que seja responsável e confiável para realizar os reparos necessários. Por isso, é natural procurar uma empresa com vasta experiência no mercado e que forneça contrato de manutenção de bombas com propostas vantajosas. Durante a visita preventiva, a empresa responsável não fará vista grossa quanto à limpeza do equipamento, pois sujeiras podem acarretar seu mau funcionamento. A lubrificação e o engraxamento das peças poderão ser checados por serem principais meios de causar ruídos incomuns e atrito das peças de rolamento.


Conforme o contrato de manutenção de bombas hidráulicas, a equipe deverá realizar ajustes e regulagem nos controles de nível, na amperagem nominal dos motores das bombas hidráulicas do condomínio, na tensão de cada elemento que compõe e torna a bomba na máquina de excelente desempenho que foi confeccionada. O contrato de manutenção de bombas deve abranger a correção de mau contato dos componentes incutidos no comando elétrico, que podem acarretar em falhas no sistema elétrico.


A equipe deve estar capacitada a corrigir e melhorar os sistemas hidráulico e eletrônico caso apresentem mau funcionamento durante o diagnóstico, tudo para que esses pontos não se tornem agravantes e resultem na parada do equipamento. A equipe que realiza a manutenção corretiva é responsável por efetuar a retirada para conserto e a reinstalação do equipamento no condomínio, quando ele estiver em condições adequadas para uso.


Conforme mencionamos anteriormente, a energia elétrica e essencial para o funcionamento das bombas hidráulicas do condomínio, portanto sem energia as bambas não funcionam. Alguns síndicos e zeladores utilizam dos geradores do condomínio, para sustentar as bombas durante períodos de queda da energia elétrica, porém essa medida nem sempre é recomendada, pois é preciso ter atenção à potência dos geradores e o consumo das bombas. Para que não haja a necessidade de funcionamento constante das bombas hidráulicas, inclusive em momentos de falta de energia, recomendasse manter um volume de água nos reservatórios superiores, suficiente para uso doméstico de todas as unidades autônomas do condomínio, por pelo menos 24 horas. Se mesmo após este período a energia elétrica não retornar ao condomínio, o sindico ou zelador poder fazer a contratação de um ou mais caminhões pipa com sistema de bombeamento, para abastecer as caixas d’água do edifício.


Por serem acionadas praticamente todos os dias, as bambas hidráulicas possuem um alto potencial de consumo energético, porém o consumo real irá variar muito de acordo com a forma de utilização, a quantidade e a qualidade dos equipamentos instaladas no condomínio. Em edifícios de muito andares e composto por sistemas de pressurização e aquecedor/refrigerador central, onde as bombas hidráulicas são responsáveis pela circulação de água quente, o consumo energético poderá ser bem expressivo. Em edifícios mais baixos, com apenas uma bomba de recalque, o consumo energético tende a ser bem menor.


Assim como qualquer outro equipamento, as bombas hidráulicas também se modernizam e são cada vez mais eficientes, por esse motivo, é seguro afirmar que bombas muito antigas também podem ser a razão de um alto consumo energético do sistema. A substituição de bombas antigas, por equipamentos mais modernos pode representar uma grande economia no consumo de energia do condomínio. Motores mais eficientes, acionamentos automatizados e controle de pressão, são novas tecnologias que tornam as bombas hidráulica muito mais eficazes. Novas tecnologias também auxiliam na redução de trabalho de síndicos e zeladores, por meio de painéis de controle que avisam sobre o nível de água nos reservatórios, sobrecarga nos motores e extravasão nas caixas d’água. Alguns sistemas mais modernos enviam estas informações diretamente para o celular do zelador, manutencista ou síndico do condomínio.


As bombas hidráulicas existem em todos os condomínios, porém elas só são notadas por síndicos, zeladores e condôminos quando a garagem fica alagada ou quando falta água nas unidades autônomas ou apartamentos. Sua conservação é imprescindível para evitar prejuízos ao condomínio. É recomendado a síndicos e zeladores avaliara o nível de ruídos, vibrações, vazamentos e consumo de energia, porém é preciso contratar empresa especializada para realizar a manutenção preventiva das bombas.



1.811 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page